SDSA

Versão Portuguesa

Avaliação Breve de Condutores com Acidente Vascular Cerebral (SDSA)

Inês Saraiva Ferreira & Mário R. Simões (2009)

Versão original

Stroke Drivers Screening Assessment (SDSA)

Fiona M. Nouri & Nadina B. Lincoln (1994)

 

Enquadramento

O SDSA é uma bateria de testes concebida para o rastreio cognitivo de condutores vítimas de acidente vascular cerebral. É composta por três provas: Dot Cancellation (teste de cancelamento), Square Matrix (teste de raciocínio visuoespacial) e Road Sign Recognition (teste de sinais de trânsito). A validade e utilidade do SDSA tem sido investigada no âmbito da avaliação de aptidões cognitivas para a tarefa de condução automóvel. Existe atualmente um número considerável de estudos de validade preditiva com indicadores de desempenho na condução, como histórico de acidentes de viação, condução simulada e/ou condução em contexto real de trânsito. Os estudos incidem em grupos de pessoas mais velhas e/ou com doença neurológica como acidente vascular cerebral, traumatismo crânio-encefálico, esclerose múltipla, doença de Alzheimer e doença de Parkinson. O SDSA tem sido adaptado em vários países da Europa e dos Estados Unidos, bem como na Austrália e no Japão.

Descrição

Domínio de avaliação: Aptidões cognitivas para a tarefa de condução automóvel.
Tipo de instrumento: Bateria de testes incluindo uma prova de papel-e-lápis (Dot Cancellation) e duas de execução (Square Matrix, Road Sign Recognition).
Aplicação: Individual, 25 minutos.
População: A partir dos 60 anos.

Dimensões

O SDSA examina três domínios neurocognitivos essenciais para o comportamento de condução: atenção visual, funções executivas e capacidades visuoespaciais.

Estudos

A adaptação transcultural e versão experimental portuguesa do SDSA foram desenvolvidas em estreita colaboração com a Professora Doutora Nadina Lincoln (University of Nottingham), no âmbito de um Doutoramento em Psicologia – Especialidade de Avaliação Psicológica, do primeiro autor, com orientação científica do Professor Doutor Mário Rodrigues Simões (Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação da Universidade de Coimbra). O programa de investigações incluiu um estudo de validação do SDSA com indicadores de desempenho de condução em contexto real de trânsito, numa amostra de condutores idosos referenciados para avaliação da aptidão psicológica para a condução.

Investigações futuras

A versão experimental portuguesa do SDSA pode ser cedida exclusivamente para fins de investigação. Há disponibilidade do PsyAssessmentLab para colaborar de forma ativa em projetos de investigação centrados neste instrumento.

Financiamento

O estudo do SDSA teve início em 2007 e foi desenvolvido com o apoio de uma Bolsa de Doutoramento concedida pela Fundação para a Ciência e a Tecnologia (FCT) [SFRH/BD/27255/2006] ao primeiro autor.

Contactos

Inês Saraiva Ferreira (ines.rsferreira@gmail.com)
Mário R. Simões (simoesmr@fpce.uc.pt)

Bibliografia fundamental

  1. Ferreira, I. S. (2013). Avaliação Psicológica de Condutores Idosos: Validade de Testes Neurocognitivos no Desempenho de Condução Automóvel [Psychological Assessment of Older Drivers: Validity of Neurocognitive Tests in Automobile Driving Performance]. Tese de Doutoramento em Psicologia (Avaliação Psicológica). Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação da Universidade de Coimbra, Coimbra.
  2. Ferreira, I. S., & Simões, M. R. (2009). Avaliação neuropsicológica de condutores idosos: Relações entre resultados em testes cognitivos, desempenho de condução automóvel e acidentes [Neuropsychological assessment of older drivers: Relationship between results on cognitive tests, driving performance and road accidents]. Psychologica, 51, 225–247. PDF

  3. Ferreira, I. S., & Simões, M. R. (2015). Contributo da avaliação psicológica no exame clínico de condutores com doença neurológica e psiquiátrica: Revisão teórica [Contribution of the psychological assessment in the clinical examination of drivers with neurological and psychiatric disease: Theoretical review]. Revista Portuguesa de Saúde Pública, 33(1), 57-70. doi:10.1016/j.rpsp.2014.03.003

  4. Ferreira, I. S., Simões, M. R., & Marôco, J. (2013). Cognitive and psychomotor tests as predictors of on-road driving ability in older primary care patients. Transportation Research Part F: Traffic Psychology and Behaviour, 21, 146-158. doi: 10.1016/j.trf.2013.09.007

  5. Ferreira, I. S., Simões, M. R., Marques, S. G., Figueiredo, M. N., & Marmeleira, J. F. (2010). Neuropsychological assessment of older drivers: Review and synthesis (ID 02531). In José Viegas & Rosário Macário (Eds.), Selected Proceedings of the 12th World Conference on Transport Research (pp. 1–24). Lisbon: Technical University of Lisbon. ISBN 978-989-96986-1-1

  6. Lincoln, N. B., Ferreira, I. S., & Simões, M. R. (2009a). Stroke Drivers Screening Assessment. European Portuguese Experimental version (SDSA; F. Nouri, N. Lincoln, 1994®). Nottingham, UK: University of Nottingham & Psychological Assessment Department, Faculty of Psychology and Educational Sciences, University of Coimbra.

  7. Lincoln, N. B., Ferreira, I. S., & Simões, M. R. (2009b). Stroke Drivers Screening Assessment (SDSA): Manual da versão experimental Portuguesa [Stroke Drivers Screening Assessment (SDSA): Manual of the European Portuguese Experimental version]. Coimbra, Portugal: University of Nottingham & Serviço de Avaliação Psicológica da Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação da Universidade de Coimbra.

  8. Nouri, F., & Lincoln, N. (1992). Validation of a cognitive assessment: Predicting driving performance after stroke. Clinical Rehabilitation, 6, 275-281.

  9. Nouri, F., & Lincoln, N. (1993). Predicting driving performance after stroke. British Medical Journal, 307, 482-483. PDF

  10. Nouri, F., Tinson, D., & Lincoln, N. (1987). Cognitive ability and driving after stroke. International Disability Studies, 9, 110-115. PDF